Vasco

Vasco

sábado, 30 de junho de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 30 DE JUNHO

Harry Welfare, treianador
 vascaíno na década-1940

Na década-1930, o Vasco ficou na frente do Flamengo: 8 x 7 no placar das vitórias (e dois empates). Quando começaram os anos-1940, os dois só foram se encontrar pelo Campeonato Carioca, no domingão 30 de junho. A “Turma da Colina” visitou o Estádio Álvaro Chaves, nas Laranjeiras, e mandou 3 x 2.  O clássico, apitado por Carlos de Oliveira Monteiro, o ‘Tijolo’, teve os “executores” cruzmaltinos identificados por Figliola, Alfredo I e Lindo. O treinador Harry Welfarer escalou: Nascimento (Chiquinho), Osvaldo Saldanha, Florindo, Figliola; Zarzur, Alfredo I, Villadoniga, Lindo, Orlando, Dacunto e Gonzalez.
 
ESTATÍSTICA - Na década-1940, o Vasco venceu os rubro-negros, por  21 vezes, em 42 duelos por várias competições (além de 12 empates), marcando  60 gols. Confira as vitórias e empates vascaínos no período: 30.06.1940 – Vasco 3 x 2 (Estadual); 24.1941 – Vasco 3 x 1 (amistoso); 27.04.1941 – Vasco 0 x 0 Flamengo (Torneio Início);  09.11.1941 – Vasco 1 x 1 Flamengo (Estadual). 26.04.1942 – Vasco 1 x 1 Flameno (Estadual); 16.03.1943 – Vasco 1 x 1 Flamengo (Torneio Relâmpago); 28.03.1943 – Vasco 1 x 1 Flamengo (Torneio Início). 31.07.1943 – Vasco 1 x 1 Flamengo (Estadual). 19.03.1944 – Vasco 5 x 2 (Torneio Relâmpago); 26.03.1944 – Vasco 3 x 1 (Torneio Início); 24.06.1944 – Vasco 2 x 2 Flamengo (Municipal); 26.08.1944 – Vasco 2 x 1 (Estadual). 13.05.1945 – Vasco 5 x 1 (Municipal); 16.09.1945 – Vasco 2 x 1 (Estadual); 18.11.1945 – Vasco 2 x 2 Flamengo (Estadual). 24.03.1946 – Vasco 2 x 0 (Relâmpago); 19.05.1946 – Vasco 3 x 1 (Municipal); 03.08.1946 – Vasco 2 x 2 Flamengo (Estadual); 06.10.1946 – Vasco 4 x 3 (Estadual).
 

O Vasco já aplicou duas goleadas em cima do Bonsucesso, na data 30 de junho: 6 x 1, amistosamente, em São Januário, em uma quinta-feira de 1960, e 5 x 1, em 1943. No jogo de maior escore, Pinga (2), Ronaldo, Nivaldo e Roberto Pinto e Sabará fizeram o estrago. Amistosamente, os cruzmaltinos só encararam o “Bonsuça” em seis oportunidades: 28.12.1941 – Vasco 4 x 2; 21.05.1944 – Vasco 10 x 0; 14.04.1954 – Vasco 5 x 1; 04.02.1959 – Vasco 2 x 1; 30.06.1960 – vasco 6 x 1; 26.04.1975 – Vasco 1 x 1 Bonsucesso.

VASCO 5 x 1 BONSUCESSO valeu pelo Campeonato Carioca-1943 da fase em que o treinador uruguaio Ondino Viera estava montando o “Expresso da Vitória”, o timão quase invencível. Foi em uma quarta-feira, no estádio da Rua Conselheiro Galvão, dos rubro-anis, e os gols cruzmaltinos criação de Ademir Menezes (3), Lelé e Alfredo II. O time teve: Roberto; Aroldo e Rubens; Figliola, Tião e Argemiro; Djalma, Alfredo II Lelé, Ademir e Chico.


Pinga pingou na rede
VASCO 5 X 2 BENFICA, em 1957, fez parte de excursão por gramados europeus. Era domingo, em revaldo lisboeta, amistosamente, quando a rapaziada do treinador Martim Francisco encantou a torcida da terra. O "Almirante" chegou às redes lusitanas por intemédio de Válter Marciano (2), Sabará, Livinho e Pinga, navegando com esta tripulação: Carlos Alberto (Hélio), Viana e Ortunho; Orlando, Laerte e Dario; Sabará, Livinho, Vavá, Valter  (Roberto Pinto)  e Pinga. Aquele foi o segundo dos quatro amistosos disputados com os benfiquistas. O primeiro rolou em julho de 1931, com goleada, por 5 x 0. Em 1965, houve empate, no Maracanã, por 1 x 1, repetido, em 1984.
 
Sasulzinho (E) ao lado de
Viladônega
VASCO 4 X 1 PORTUGUESA-RJ  – Além de duas balaiadas sobre o “Bonsuça”, o Vasco mandou mais uma nos 30 de junho. Vítima: a "Zebra" da Ilha do Governador, pelo Campeonato Carioca-1963, no Maracanã. Laçadores: Saulzinho (2), Célio e Sabará acharam o pescoço dela, para gáudio do chefe Jorge Vieira, que colocou o laço nos poderes de: Humberto Torgado, Joel Felício, Brito, Barbosinha e Dario; Maranhão e Lorico; Sabará, Célio Saulzinho e Ronaldo. José Gomes Sobrinho apitou a partida.   

VASCO 3 X 2 PONTE PRETA - "Relíder". Não inventaram  "reestreia", para o primeiro jogo do atleta que retorna a um clube? Não falam "relançou", quando o meia aciona o atacante em dois lances seguidos? Logo, se o Vasco retomava a ponta, era "relíder". Estava "reliderando" o Campeonato Brasileiro-2012, segundo o neologismo da vez. O "Time da Virada" virou o placar e "retomou" a ponta da tabela, naquele 30 de junho. Pisou no gramado de São Januário, com 13 pontos, e saiu com 16, vendo a concorrência lá de cima. A "Macaca", marcou primeiro, a moçada empatou e a visitante desempatou, no primeiro tempo. No segundo, o "Almirante" "reempatou"  e "redesempatou". Que sabadão emocionante" Fabricio Neves Correa-RS apitou e os gols vascaínos foram de Alecsandro, aos 21 min do 1º tempo;  Éder Luís, aos 3, e Diego Souza (pen), aos 32 min do 2º tempo. O time do técnico Cristóvão Borges: Fernando Prass; Fagner, Dedé, Renato Silva e Felipe (Eduardo Costa); Nilton, Fellipe Bastos, Juninho e Carlos Alberto (William Matheus); Éder Luis (Diego Souza e Alecsandro.

Alecsandro, Diego Souza e Juninho Pernambucano comemoram

 .



 
 

sexta-feira, 29 de junho de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 29 DE JUNHO

 Três times cariocas estão na conta dos devedores vascaínos nos 29 de junho: Bonsucesso, São Cristóvão e Campo Grande, velhos “fregueses”. De caderninho, diga-se de passagem. O mais importante, porém, foi a primeira vitória carioca em gramados europeus. E mais duas, por aqui, sobre times com o mesmo nome. Vamos ver este forrobodó.

VILLADONIGA
VASCO 3 X 2 BONSUCESSO, pelo Campeonato Carioca-1941, teve o a galera da Colina como visitante ao estádio da Rua Teixeira de Freitas, em um domingo. Alfredo II, Villadoniga (foto) e Orlando marcaram os gols do time do treiador Telêmaco Frazão de Lima. O “Kike da Bola” encontrou uma escalação com nove nomes – Chiquinho, Osvaldo Saldanha, Florindo, Figliola, Alfredo II, Argemiro, Orlando, Villadoniga e Gonzalez. No entanto, a base de 1941 era: Chiquinho, Jahu (Osvaldo Saldanha) e Florindo; Figliola, Zarzur (Paulista) e Dacunto (Argemiro); Armandinho (Manuel Rocha), Alfredo I (Alfredo II), Villadoniga (Carlos Leite), González (Nino) e Orlando, que não fizeram um bom Estadual. Em 28 jogos, por quatro turnos, venceram 15, empataram sete e perderam seis. Ficaram em quarto  lugar, marcando 69 gols, média de 2,46 por jogo, e sofrendo 39, um saldo de 30. 
 
VASCO 5 X 3 SÃO CRISTÓVÃO – No 29 de junho de 1946, o carioca na reta do "Almirante" era o "Santo", que o convidou para um amistoso, na Rua Figueira de Mello. E teve de ajoelhar-se, por conta de um rosário de gols desfilados por Mário (2), Lelé, João Pinto e Ipojucan.  Os cruzmaltinos só enfrentaram os alvos em apenas seis amistosos: três na casa do adversário, no estádio da Rua Figueira de Mello, duas em São Januário, e uma no antigo campo do América, à Rua Campos Salles. 
 ESTATÍSTICA: 20.09.1932 – Vasco 5 x 1; 12.09.1937 – Vasco 3 x 1; 30.10.1944 – Vasco 2 x 3 São Cristóvão; 29.06.1946 – Vasco 5 x 3; 26.05.1960 – Vasco 5 x 3; 22.07.2000 – Vasco 3 x 0.

VASCO 1 X 0 CAMPO GRANDE, em um domingo, no Maracanã, foi o primeiro dos dois jogos disputados pelos rivais na Taça Guanabara. Neste, de 29 de junho de 1969, o gol foi marcado por Nei Oliveira, que teve do seu lado: Andrada; Fidélis, Moacir, Fernando e Eberval; Alcir, Beneti e Buglê; Silvinho, Nei, Bianchini e Valfrido. Com esta formação, o técnico Evaristo de Macedo definira a defesa que Elba de Pádua Lima, o Tim, usaria durante a conquista do título carioca de 1970. Alcir e Buglê seriam, também, titulares no meio-de-campo, enquanto o ataque trocaria Nei e Bianchini, por Silva e Gílson Nunes, fazendo companhia ao Valfrido, o “Espanador da Lua”.  O Vaso fez uma péssima Taça Guanabara-1969. Terminou em sexto lugar, entre oito disputantes, inclusive, atrás do Bonsucesso. Somou seis pontos, em sete jogos, com duas vitórias dois empates e três derrotas, marcando cinco e sofrendo quatro tentos. (Foto reproduzida da revista Esporte Ilustrado).

 VASCO 3 X 0 OPERÁRIO -  Este adversário é da cidade de Campo Grande, a capital sul-mato-grossense. Time alvinegro, encarou a rapaziada pelo Campeonato Brasileiro-1974, em em São Januário, em um sábado. Fred, Roberto Dinamite e Marião (contra) balançaram o filó.  Mário Travaglini era o triniador e a sua turma era: Andrada; Fidélis, Joel, Miguel e Alfinete; Alcir (Gaúcho) e Zanata; Jaílson, Fred, Roberto Dinamite e Jorginho.

VASCO 4 X 0 OPERÁRIO-DOR - O  time da cidade de Dourados chamou par este único amistoso entre os dois clubes, em 1980. O "Almirante" mordeu a grana e o filó, isto é, Dudu, Roberto Dinamite, Paulo Roberto e Peribaldo.
 

quinta-feira, 28 de junho de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 28 DE JUNHO

 Em 28 de junho de 1931, o Vasco iniciava campanha de 11 jogos pela Europa, na primeira excursão e de um clube carioca pelo “Velho Mundo”. Na estreia, perdeu, do Barcelona, por 3 x 2. Mas teve troco. No dia seguinte, mandou 2 x 1. O mesmo ocorreu diante do Celta. Derrota, por 2 x 1, devolvida, com goleada: 7 x 1. Com 12 gols marcados e duas vitórias, em território espanhol, estava de bom tamanho, para começo de conversa.


 Da Espanha, a rapaziada seguiu rumo a Portugal. De cara, sapecou 5 x 0 no Benfica. Depois, 4 x 2 no Combinado de Lisboa. O Porto, também, queria encarar. Levou 3 x 1. Com o quarto adversário foi bem pior: 9 x 2 pra cima do  Combinado Varzim/Boavista. E, pra não parar de golear, 6 x 2 diante do Ovarense.  Como já tinha vencido cinco times lusitanos, mandando 27 bolas nas redes, os vascaínos concederam uma revanche ao Porto: 2 x 1 pra eles. Seguiu-se um empate, 1 x 1, com o Vitória de Lisboa, e mais uma goleada, na despedida do giro: Vasco 4 x 1 Sporting. Confira datas, placares e gols vascaínos do giro.

28.06.1931 – Vasco 2 x 3 Barcelona-ESP- Amistoso. Local: Barcelona. Gols: Carvalho Leite. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Nilo, Carvalho Leite, Russinho e Mário Matos. Técnico: Harry Welfare.
 

29.6.1931 0 Vasco 2 x 1 Barcelona-ESP. Amistoso. Local: Barcelona. Gols: Russinho e Carvalho Leite. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Benedicto, Russinho, Carvalho Leite (foto) e Santana. Técnico: Harry Welfare.
 

05.07.1931 – Vasco 1 x 2 Celta-ESP. Amistoso. Local: Vigo (ESP). Árbitro: Ganda. Gol: Russinho. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Benedito, Nilo, Russinho, Mário Matos. Técnico: Harry Welfare.
 
07.07.1931 – Vasco 7 x 1 Celta-ESP. Amistoso. Local: Local: Vigo. Gols: Russinho (2), Nilo (2), Bahianinho (2) e Mário Matos. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Italia, Tinoco, Fausto e Mola (Fernando); Bahianinho (Benedito), Carvalho Leite, Nilo, Russinho e Mário Matos. Técnico: Harry Welfare.
 
10.07.1931 – Vasco 5 x 0 Benfica-POR. Amistoso. Local: Lisboa. Árbitro: Rosmaninho. Gols: Russinho (2), Márito Matos (2) e Nilo. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Carvalho Leite, Nilo, Russinho e Mário Matos. Técnico: Harry Welfare.

15.07.1931 – Vasco 4 x 2 Combinado de Lisboa-POR. Amistoso - Local: Lisboa. Árbitro: Santos Junior. Gols: Russinho (3) e Nilo. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Carvalho Leite, Nilo, Russinho e Mário Matos. Técnico: Harry Welfare.

19.07.1931 – Vasco 1 x 2 Porto-POR – Amistoso - Local: Porto (POR). Árbitro: José Guimarães. Gols: Russinho. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Italia, Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Carvalho Leite, Nilo, Russinho e Mário Matos. Técnico: Harry Welfare.
 
22.07.1931 - Vasco 9 x 2 Combinado Varzim/Boavista-POR. Amistoso. Local:: Porto (POR). Árbitro: Silva Rocha. Gols: Benedito (3), Tinoco (3), Santana (2) e Fernando. VASCO: Valdemar, Itália, Nesi, Fernando, Mola, Bahianinho, Benedito, Rainha, Ghizone, Mário Matos e Santana. Técnico: Harry Welfare.

24.07.1931 – Vasco 6 x 2 Ovarense-POR. Amistoso. Local: Ovar (POR). Árbitro: Silva Rocha. Gols: Russinho (3), Nilo, Bahianinho e Carvalho Leite. VASCO: Valdemar, Nesi, Fernando, Rainha, Mola, Bahianinho, Nilo, Carvalho Leite, Russinho, Benedito e Santana . Técnico: Harry Welfare.
26.07.1931 – Vasco 1 x 2 Porto-POR.Amistoso. Local: Porto (POR). Gol: Carvalho Leite. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Carvalho Leite, Nilo, Russinho e Mário Matos. Técnico: Harry Welfare.

30.07.1931 – Vasco 1 x 1 Vitória de Lisboa-POR. Amistoso. Local: Campo da Amoreiras (POR). Gol: Carvalho Leite. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Nilo, Russinho, Carvalho Leite e Mário Matos. Técnico: Harry Welfare.

02.08.1931 – Vasco 4 x 1 Sporting-POR. Amistoso. Local: Porto (POR). Gols: Nilo (2), Carvalho Leite e Ghizone. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Nilo, Russinho, Carvalho Leite e Mário Matos. Técnico: Harry Welfare. (fotos reproduzidas da revista "Grandes Clubes".

                              A FORÇA DO ALMIRANTE  BOTAVA PRA AFUNDAR
Nos 28 de junho, o Vasco aprontou outras, dentro e fora de casas. Em 2003, foi ao Ceará vencer o Fortaleza, por 1 x 0, com gol de Marcelinho Carioca, pelo Campeonato Brasileiro. Três temporadas depois, convidado para um amistoso, no norte do país, subiu até o Amazonas e cumpriu com a sua obrigação, mandando 2 x 1 no São Raimundo, com gols de Ramón Menezes e de Valdiram. Confiras mais dois estragos:

VASCO 3 X 1 CORINTHIANS  -  Domingão de muitas emoções, no Maracanã, pelo Torneio Rivadávia Correa Meyer-1953, a disputa que substituiu a Copa Rio, primeira competição reconhecida pela FIFA nos moldes dos atuais Mundiais interclubes. Os alvinegros paulistas estavam ansiosos pela devolução dos 4 x 2 mandado pelos vascaínos, quatro dias antes, no mesmo local. Mas não deu. A “Turma da Colina” sapecou-lhes 3 x 1 e passou à final da competição que homenageava o presidente da Confederação Brasileira de Desportos-CBD. Aquele prélio, com arbitragem de Erik Westmann, teve Maneca abrindo o placar, aos 15, e Sabará aumentando, aos 36 minutos do primeiro tempo. Dejayr fechou a conta cruzmaltina, aos 35 da etapa final. O time, treinado por Flávio Costa, foi: Ernâni, Mirim e Bellini; Ely, Danilo e Jorge; Sabará, Maneca, Ademir Menezes (Ipojucan) Pinga e Dejayr. 

VASCO 2 X 1 BONSUCESSO - A moçada estava há 12 temporadas sem conquistar um Campeonato Carioca. Em 28 de junho de 1970,  estreava na primeira competição da década, treinado por Elba de Pádua Lima, o Tim, que fora um dos maiores craques do futebol brasileiro.  Na expectativa de ver o tabu acabar, 2. 876 pagaram para conferir o que iria rolar em São Januário. De início, a tentativa cruzmaltina não fora muito animadora. A rapaziada levara 43 minutos para balançar a rede rubro-anil. Pelas metadades do segundo tempo, o “Bonsuça” empatou. Estava feia a coisa.  A galera da arquibancada já estava indo embora, aos 40 minutos do segundo tempo, quando o “Batuta” Silva, que havia aberto o placar, marcou o gol da vitória. Era o início do fim do tabu, avisado por: Andrada; Fidélis, Moacir, Joel Santana e Batista; Alcir e Buglê (Willi); Luis Carlos Lemos (Jaílson), Silva, Valfrido e Gílson Nunes foi o time.

VASCO 4 X 2 IPATINGA-MG - Em um sábado 28 de junho, em São Januário, o Vasco disputou o seu primeiro jogo contra o mineiro Ipatinga. E o venceu, pro 4 x 2, valendo pela fase única do Campenato Brasileiro-2008. Ao abrir o placar, aos três minutos, Alex Teixeira entrou para o time dos mais rápidos “Matadores da Colina” . E fez mais um, aos 11 minutos – Jean, aos 36, e Leandro Amaral, aos 41, resolveram a parda logo no primeiro tempo da partida iniciadas às 18h30. O treinador Antônio Lopes escalou: Tiago (Roberto); Rodrigo Antônio, Vílson, Eduardo Luiz e Wagner Diniz; Jonílson, Morais e Madson (Pablo); Alex Teixeira (Beto Cachaça), Jean e  Leandro Amaral.   



 

quarta-feira, 27 de junho de 2012

CALENDÁRIO DA COLLINA - 27 DE JUNHO

Nos 27 de junho vascaínos, com muita fome de gols, a rapaziada bateu na turma da vila e do campo, valendo pelo Campeonato Carioca. Sobrou, também, para a moçada das Laranjeiras, se bem que mais leve. Está conferido, também, mais do que estrela capixaba ida aos pampas, para pastorear os colorados. Confiramos!

VASCO 5 X 1 VILA ISABEL, em um domingo de 1926, rolou no estádio da Rua Paysandu. Tempos do treinador uruguaio Ramón Platero, que comemorou os gols de Paschoal (2), Russinho (2) e Dininho. Os vascaínos enfrentaram aquele adversário em oito oportunidades,  pelo Campeonato Carioca da Primeira Divisão, com grande superioridade. Confira: 25.05.1924 – Vasco 3 x 1; 03.08.1924 – Vasco 2 x 0; 04.04.1926 – Vasco 5 x 0; 27.06.1926 – Vasco 5 x 1; 22.05.1927 – Vasco 5 x 2; 31.07.1927 – Vasco 2 x 2 Vila Isabel; 10.06.1928 – Vasco 1 x 1 Vila Isabel; 07.10.1928 – Vasco 4 x 0.  Antes, houve quatro jogos pelo Carioca da Segunda Divisão: 17.04.1921 – Vasco 1 x 4; 03.07.1921 – Vasco 3 x 2; 23.04.1922 – Vasco 0 x 1; 04.06.1922 - Vasco 2 x 1.

 Vavá em foto reproduzida de uma capa da
revista Manchete Esportiva
VASCO X 3 X 3 PALMEIRAS - Curioso! Na data de 27 de junho, o Vasco empatou, por duas vezes, com o Palmeiras: 3 x 3, em 1945, e 1 x 1, em 1954. Só trocaram os dois últimos números: 45 e 54. O primeiro desses empates foi eletrizante, em uma quarta-feira, no paulistano Pacaembu, apitado por Oscar Pereira Gomes. Os vascaínos chegaram a abrir três gols de frente, por intermédio de Lelé, aos 4 e aos 14, e de Santo Cristo, aos 17 minutos. Com o uruguaio Ondino Viera no leme, a esquadra do “Almirante” navegou levando: Barcheta, Berascochea, Rafagnelli, Nílton, Dino (Argemiro) Rubens, Djalma, Santo Cristo, Lelé, Isaías e Chico (Ademir Menezes). Em 1954, o encontro valeu pelo Torneio Rio-São Paulo, em um domingo, novamente, no Pacaembu, isto é, Estádio Paulo Machado de Carvalho, com arbitragem de José Alberto da Gama Malcher. Hélio marou o tento vascaíno, aos 35 minutos, com o time alinhando: Barbosa; Dário e Bellini; Amauri, Laerte e Haroldo (Beto); Sabará (Vaguinho), Ademir Menezes (Iedo), Vavá, Alvinho e Hélio.
 
 VASCO 2 x 1 FLUMINENSE foi o segundo dos três duelos de desempate pelo título do Torneio Municipal-1948, porque os dois rivais terminaram igualados, com 16 pontos. Assistido por 11.016 almas, no estádio da Gávea, em um domingo, o jogo teve gols vascaínos marcados por Dimas, aos 36, e por Nestor, aos 50 minutos. Alberto da Gama Malcher apitou e o treinador Flávio Costa mandou esta patota bater nos tricolores: Barcheta, Laerte e Wilson; Alfredo II, Moacir e Sampaio; Nestor, Ipojucan e Dimas. 
 
VASCO 5 X 0 CAMPO GRANDE, pelo Estadual-1979,  teve Roberto Dinamite (2), Paulinho (2) e Guina comparecendo ao barbante. Era uma quarta-feira e 1.365 pagantes foram a São Januário ver Oto Glória comandar a rapaziada  naquele baile. Quem botou pra dançar? Leão; Paulinho Pereira, Jader, Abel, Gaúcho e Marco Antônio: Dudu, Helinho e Guina; Wilsinho, Roberto Dinamite (Carlos Alberto Garcia) e Paulinho.
 
VASCO 3 X 0 ESTRELA DO NORTE-ES -  Quem brilhou mais foi a estrela da Colina, neste que, simplesmente, foi mais um daqueles amistosos em que o time convidante assiste ao adversário só faltar mandar roupeiro e massagistas para o gramado O treinador Antônio Lopes usou, em 1982, quem levou para o banco dos reservas para encarar o time capixaba. Com gols de  Renato Sá, Dudu e Ernani, o "Almirante" foi ancorado por: Mazaropi (Acácio), Rosemiro, Rondinelli (Chagas), Ivan, Gilberto, Dudu (Serginho), Marquinho (Jérson), Ernâni, João Carlos (Galvão), Claudio Adão (Paulo César) e Renato Sá.

VASCO 3 X 1 INTERNACIONAL foram indiscutíveis: dentro da casa colorada, no Beira-Rio, em Porto Alegre. Grande tarde domingueira cruzmaltina, diante de 6.743 pagantes, valendo pela  11º rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro-2004, com apito de Elvécio Zequetto-MS. Muriqui, aos 8 minutos, começou a calar a torcida do Inter. Aos 42, Valdir ‘Bigode” fez mais um. Chiquinho, aos 38 do segundo tempo, também, mexeu no placar. Geninho era o treiandor e a sua rapaziada era: Fábio; Chiquinho, Serjão Vertello, Wescley e Diego; Ygor, Coutinho (Gomes), Robson Luís (Júnior) e Petkovic; Muriqui (Ãnderson) e Valdir.

terça-feira, 26 de junho de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 26 DE JUNHO

Duas goleadas e dois empataços são os destaques vascaínos na data 26 de junho. No segundo caso, saiba quantas vezes a rapaziada fez e sofreu (mais do que deveria) gols que formaram a chamada "tripleta":.

VASCO 3 X 3 BOTAFOGO  mostra porque chamar este encontro de “Clássico da Amizade” não pega. Nenhum dos dois perdoa. Tanto que  já ficaram neste placar em três oportunidades. A primeira, em General Severiano, a casa botafoguense, pelo Campeonato Carioca-1927, no 15º duelo da rivalidade que tinha 11 invencibilidades vascaínas. Os outros 3 x 3, concidentemente, tiveram mesmas data e local: 30 de outubro de 1925 e de 1926, também valendo pelo Estadual. No de cima, os gols vascaínos foram de Paschoal, Tatu e Badu.
 
VASCO 6 x 0 ACADÊMICA-POR valeu o “canudo de goleador” aos cruzmaltinos, em um domingo de 1955,  quando a moçada excursionava por relvados portugueses. Sabará (2), Pinga (2), Maneca e Vavá viram o time lusitanos "analfabeto de bola". Tremeu diante de: Victor Gonzalez, Paulinho de Almeida (Haroldo) e Bellini; Ely, Orlando e Coronel; Sabará, Maneca (Iedo), Vavá (Ademir Menezes) , Pinga e Parodi. O treinador era Flávio Costa e este foi o único encontro da rapaziada com o clube de Coimbra.
 
VASCO 2 X 1 VALENCIA, em 1957,  está no rol dos cinco amistosos disputados pelos dois. Este se deu em uma quarta-feira, em canchas espanholas, com Vavá e Pinga pingando nas redes. Martim Francisco era quem comandava a rapaziada: Carlos Alberto Cavalheiro, Dario e Ortunho; Orlando Peçanha, Viana e  Laerte; Sabará, Livinho, Vavá (Wilson Moreira), Válter Marciano e Pinga.
ESTATÍSTICAS – Confria os amistosos “vascaíno-valencianos”: 19.06.1947 – Vasco 4 x 1; 22.05.1955 – Vasco 3 x 3 Valencia; 20.06.1957 – Vasco 3 x 1; 26.06.1957 – Vasco 2 x 1; 15.06. 1958 – Vasco 1 x 1 Valencia. (desenho de Bellini reproduzido de capa da revista "Gazeta Esportiva")  
 
VASCO 4 x 0 CAMPO GRANDE rolou pela Copa Rio-1991, em uma quarta-feira, em São Januário. Os “desempregadores de goleiros” foram Sorato (2) Ânderson e Zé do Carmo. O técnico Antônio Lopes só não gostou do público pagante: 1.640 testemunhas.
Vascaínos e campo-grandenses fizeram dois jogos pela Copa Rio de Janeiro, ambos vascaínados no placar: 4 x 0, em 26.061991, e 2 x 1, em 25.10.1995. Mas o “Campusca” é um velho freguês. Juntando-se as refregas por Campeonato Brasileiro (2); Estadual (49); Taça Guanabara (2); Copa RJ (2) e amistosos (4), o time da zona rural carioca, em 59 encaradas, levou a pior em 42 oportunidades.

 
VASCO 3 X 3 CRUZEIRO é lance mais moderno, da nona rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro-2005. Jogado em noite de domingo, no Mineirão, em Belo Horizonte, teve o  pequeno público de 6.146 pagantes. Com Dário Lourenço no comando da turma, Alex Dias, aos 45 minutos do primeiro tempo; Morais, aos 24, e Gomes, aos 39 da etapa final, foram os representantes da Colina nas redes da "Raposa". O apito foi de  o Wilson Luiz Seneme-SP e a “Esquadra do Almriante” esteve nas “Alterosas” piloada por: Ervelton; Éder, Ciro, Alemão e Wagenr Diniz (Claudemir): Ives, Gomes, Morais e Jorginho Paulista (Maciel); Alex Dias e Willian (Dominguez).

EMPATAÇOS - Outras tri igualdades curzmaltinas: 26.06.1927 – Vasco 3 x 3 Botafogo; 13.05.1933 – Vasco 3 x 3 Madureira; 27.01.1935 – Vasco 3 x 3 Boca Juniors-ARG; 04.06.1940 - Vasco 3 x 3 São Paulo; 07.06.1942 – Vasco 3 x 3 Botafogo; 13.05.1943 – Vasco 3 x 3 Madureira;  01.051944 – Vasco 3 x 3 São Paulo;  01.07.1944 – Vasco 3 x 3 Fluminense; 01.04.1944 – Vasco 3 x 3 São Paulo; 27.06.1945 - Vasco 3 x 3 Palmeiras; 20.06.1948 – Vasco 3 x 3 São Cristóvão;  06.02.1952 – Vasco 3 x 3 Bangu; 07.06.1953 - Vasco 3 x 3 Hibernian-ESC; 17.02.1959 - Vasco 3 x 3 Sport Recife; 15.04.1959 – Vasco 3 X 3 Ferroviária de Araraquara-SP;  09.05.1964 – Vasco 3 x 3 Portuguesa de; 09.05.1964 – Vasco 3 x 3 Portuguesa de Desportos;  23.11.1980 – Vasco 3 x 3 Fluminense; 31.05.1981 – Vasco 3 x 3 Volta Redonda-RJ; 02.06.1993 - Vasco 3 X 3 Americano; 22.05.1999 – Vasco 3 x 3 Olaria;  15.04.2001 – Vasco 3 x 3 Fluminense; 11.04.2007 – Vasco 4 x 4 Botafogo; 23.07.2008 – Vasco 3 x 3 Fluminense.


                 PELÉ DISPUTA A TERCEIRA PARTIDA COM A CAMISA CRUZMALTINA  

Pelé vascaíno em 1956
Em 26 de junho de 1957, Pelé fez a sua terceira e última partida com a camisa cruzmaltina, marcando gol no empate, por 1 x 1, com o Flamengo, no Maracanã, pelo Torneio Internacional do Morumbi. Defendeu o Combinado Vasco/Santos, formado por jogadores dos dois times – os titulares cruzmaltinos excursionavam, só ficando Paulinho de Almeida e Bellini, convocados para a Seleção Brasileira que disputaria a Copa Roca, com os argentinos. O jogo foi em uma quarta-feira, e Pelé voltaria a fazer mais um jogo pelo combinado, mas com a camisa santista, contra o São Paulo, em "Sampa", novamente marcando gol no empate, por 1 x 1.
Com a camisa cruzmaltina após o 1000º gol, em 1969
FICHA TÉCNICA: 26.06.1957 – Combinado Vasco/Santos 1 x 1 Flamengo – Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro.

Torneio Internacional do Morumbi; Juiz: Anver Bilate; Gols: Pelé (Vasco-Sntos) e Dida (Flamengo). VASCO/SANTOS: Manga, Paulinho, Bellini e Ivan; Urubatão e Brauner; Iedo (Pagão), Pelé, Del Vecchio (Pepe), Jair Rosa Pinto e Tite. FLAMENGO: Ari, Joubert, Pavão e Jordan; Jadir (Dequinha) e Mílton Copolilo; Luiz Carlos, Moacir, Henrique (Duca), Dida e Zagallo (Babá). (Fotos reproduzidas de www.forçajovem.com.br) Agradecimentos


segunda-feira, 25 de junho de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 25 DE JUNHO


Uma data muito diferente. É o que se pode dizer do Vasco nos 25 de junho. Curiosamente, há quatro empates por  2 x 2. Com tantas vitórias já conferidas, não se pode deixar de conferir isso. Verdade? 

VASCO 2 X 2 SÃO CRISTÓVÃO, do Campeonato Carioca-1939, é registro de uma temporada em que os cruzmaltinos não estiveram bem. Em 24 jogos, venceram oito (33,33%), empataram sete e caíram em nove, marcando 32 e sofrendo 34 gols. Diante do "Santo", o uruguaio Villadoniga e o mineiro Orlando Fantoni fizeram a torcida vibrar.   

VASCO 2 X 2 AMÉRICA-RJ, amistosamente, teve Bianchini e Nei Oliveira comparecendo ao filó do "Diabo". 

VASCO 2 X 2 PORTO-POR, amistosamente, aconteceu em uma quarta-feira de 1975, em São Januário.  Edu Coimbra e Gaúcho marcaram para os vascaínos. O jogo ateve apito de José Aldo Pereira e a “Turma da Colina” foi à luta armada por: Mazaropi; Paulo César, Miguel (Jair Pereira), Renê e Alfinete; Gaúcho e Zanata e Ademir (Carlinhos); Dé, Edu e Galdino (Luiz Carlos).

VASCO 2 X 2 UNIÃO-MT foi o único amistoso vascaíno contra o time de Rondonópolis. Rolou em 1980, em uma quarta-feira, no Estádio Engenheiro Lutero Lopes, com gols cruzmaltinos marcados por Dudu e Roberto Dinamite, o de número 334 de sua carreira, quando o treinador era Gílson Nunes, o ponta-esquerda do time campeão carioca de 1970. Os vascaínos enfrentaram o time de Rondonópolis em mais duas oportunidades, ambas pela Copa do Brasil de 2005. Venceram, por 2 x 0, em 2 de março, e empataram, por 2 x 2, em 15 de fevereiro.

 
 
 

domingo, 24 de junho de 2012

CALENDARIO DA COLINA - 24 DE JUNHO

Bi do Torneio Municipal, vitórias nacionais e internacionais estão nos arquivos cruzmaltinos dos 24 de junho. Contra a turma daqui, a rapaziada passeou. Diante da galera de fora, deixou o Porto para trás e atingiu o uruguaio Nacional Vejamos os registros:
 
VASCO 3 X 1 ANDARAHY, vitória de virada,  abriu o segundo turno do Campeonato Carioca-1923. Jogado no estádio da Rua Barão de São Francisco Filho, no bairro do Andaraí,  foi apitado por Armindo Ferreira. No primeiro tempo, Gradim inaugurou o placar, que Cecy igualou. No segundo, o mesmo Cecy e Claudionor resolveram a parada para este time: Nélson, Leitão e Mingote; Nicolino, Claudionor e Artur; Paschoal, Torterolli, Arlindo, Cecy e Negrito.   
 
VASCO 5 X 2 BANGU, em 1934, fez parte de uma temporada estadual complicada. Duas ligas – Associação Metropolitana de Esportes Atléticos-AME e Liga Carioca de Football-LCF – brigavam pelo comando da modalidade. Os vascaínos ficaram com a segunda, e foram os campeões. O prélio contra os banguenses, em São Januário, teve apito de Jorge Marinho e Gradim marcando três gols no primeiro tempo. Na etapa final, Nena, cobrando pênalti, e Lamana completaram a conta para o time do técnico Harry Welfare, que teve: Rey, Domingos da Guia e Itália; Gringo, Fausto e Mola; Orlando, Almir (Lamana), Gradim, Nena e D’Alessandro. 
                          
VASCO 2 X 2 FLAMENGO -  Neste empate com sabor de vitória, Lelé, aos 9 e aos 15 minutos do segundo tempo, conduziu a rapaziada ao título de campeão do Torneio Municipal-1944, em um sábado, no estádio das Laranjeiras. Por aquela época, o treinador uruguaio Ondino Viera estava armando o “Expresso da Vitória”. Naquele dia, a arbitragem pertenceu a Oscar Pereira Gomes e a "Turma da Colina" era: Oncinha, Rubens e Rafagnelli; Alfredo II, Berascochea e Argemiro; Djalma, Lelé, Isaías, Jair Rosa Pinto e Chico. Foi o primeiro dos quatro títulos seguidos que foram para São Januário.
VASCO 6 x 2 AMÉRICA-RJ - Na mesma data do título metropolitano-1944,  o ‘maquinista’ Ondino Viera levou o seu “Expresso” engatar nova marcha forte, conquistando do bi do Municipal. Mas o comboio já estava campeão desde a rodada anterior, mandando 5 x 1 no Fluminense e colocando seis ponto de vantagem sobre aquele time, o segundo colocado.
CAMPANHA-1944 – 02.04.1944 – Vasco 3 X 1 Fluminense; 09.04.1944 –  Vasco 2 x 1 Canto do Rio; 16.04.1944 – Vasco 5 x 3 Madureira; 27.0.1944 – Vasco 3 x 0 Bonsucesso; 27.05.1944 – Vasco 3 x 2 América; 03.06.1944 – Vasco 1 x 2 São Cristóvão; 10.06.1944 – Vasco 2 x 0 Botafogo; 18.06.1944 – Vasco 2 x 1 Bangu; 24.06.1944 – Vasco 2 x 2 Flamengo.
CAMPANHA-1945 – 29.04.1945 – Vasco 3 x 0 Bangu; 06.06.1945 – Vasco 6 x 1 São Cristóvão;  13.05.1945 – Vasco 5 x 1 Flamengo; 20.05.1945 – Vasco 6 x 0 Bonsucesso; 27.05.1945 – Vasco 2 x 1 Canto do Rio; 03.06.1945 – Vasco 5 x 3 Botafogo;  10.06.1945 – Vasco 3 x 0 Madureira; 17.06.1945 – Vasco 5 x 1 Fluminense; 24.06.1945 – Vasco 6 x 2 América. (Foto reproduzida de www.osgigantesdacolina.blgospot.com). Agradecimento.

VASCO 2 X 0 PORTO-POR - Lá fora, a vitória foi em uma terça-feira 1947, com gols de Maneca e Chico.  O técnico Flávio Costa mandou ao relvado: Barbosa, Augusto e Rafagnelli; Ely, Danilo (Ipojucan) e Jorge; Nestor, Maneca, Frikaça Lelé (Ismael) e Chico.

VASCO 3 X 1 SANTA CRUZ-PE - Em visita à pernambucana Recife, sob o comando do treinador Oto Glória,  a rapaziada matou a "Cora Coral" e mostrou o pau, no bico das chuteiras de  Friaça, Amorim e Maneca. Amistosamente, em 1951. 

VASCO 4 X 2 CORINTHIANS -  Estava rolando o Torneio Rivadávia Corre Mayer. Era uma quarta-feira de 1953, no Maracanã, e o time do treinador Flávio Costa teve as suas bolas na rede mandadas por Pinga (2), Maneca e Ipjucan. Os caras: Ernâni, Mirim e Bellini, Ely,  Danilo e Jorge; Sabará (Alfredo II), Maneca, Ipojucan, Pinga e Dejayr.
 
VASCO 2  X 0 OLARIA valeu pela oitava rodada do Estadul-1981, no Estádio Caoio Martins, em Niterói, sob o comando de Júlio César Cosenza, diante de 3.039 pagantes. Silvinho foi o "cara" do jogo, pingando no filó, aos 10 e aos 35 minutos do primeiro tempo, em tempos do treinador Mário Jorge Lobo Zagallo, que escalou: Mazaropi, Rosemiro, Orlando, Léo e Sérgio Pinto; Dudu. Zandonaide (Serginho) e Renato Sá; Wilsinho, Ticão e Silvinho. 


VASCO 2 X 1 BOTAFOGO - 1992

VASCO 1 X 0 NACIONAL-URU - Este jogo está registrado na fase preliminar da Supercopa dos Campeões da Taça Libertadores-1997. Era uma terça-feira, em São Januário, e o gol do jogo foi marcado por Romário, aos 44 minutos do segundo tempo. Antônio Lopes era o treinador e a rapaziada vitoriosas chamava-se: Caetano: Pimentel, Odvan, Alex Pinho e Felipe; Luisinho, Nasa, Juninho Pernambucano e Ramon Mineiro; Brener (Acácio) e Vagner.  

sábado, 23 de junho de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 23 DE JUNHO

Na data em que os brasileiros dançam as quadrilhas e queimam fogos de artifícios, em homenagem a São João, o Vasco soltou dois rojões pra cima do Botafogo, com seis gols acumulados. Mas isso foi pouco. A rapaziada mandou mais sete pra cima do Barcelona, na casa dele, na Catalunha.  Vamos até lá?
 
VASCO 2 X 1 BOTGAFOGO dá a entender que o poder de fogo cruzmaltino esteve moderado. Mas rola um detalhe: a partida, iniciada no dia 16, no estádio das Laranjeiras, fora interrompida, aos 20 minutos do segundo tempo, por falta de energia elétrica, quando a “Turma da Colina” já tinha queimado duas pipocas na chapa alvinegra. Reiniciada a contenda, uma semana depois, no mesmo local, terminou como estava. Apitado por Fernando Gonçalves, valeu pelo primeiro turno do Campeonato Carioca-1929, um ano em que a taça foi se aninhar nas prateleiras da Colina. No  jogo, Pepico soltou as duas bombas no filó botafoguense, a mando do fogueteiro Harry Wefare, que  queimou o “Fogo” escalando: Valdemar (Jaguaré), Hespanhol e Itália; Brilhante, Fausto e Mola; Paschoal, Pepico, Russinho, Mário Mattos e Santana.   
 
VASCO 4 X 0 BOTAFOGO - No segundo compromisso na data, pelo Campeonato Carioca-1935, o pancadão foi em um domingão, em São Januário. O atacante Nena aprontou, mas pagou caro. Marcou dois gols e perdeu três dentes, em disputas de bolas – Luna e Luís de Carvalho fizeram os outros tentos do time que seguia treinado pelo inglês Harry Welfare e foi: Rey, Brun e Itália; Barata (Gringo), Osvaldo Saldanha e Calocero; Orlando, Tião (Kuko), Luís de Carvalho, Nena e Luna.
 
VASCO 2 X 0 FLUMINENSE - Uma outra vitória vascaína sobre um grande rival nos 23 de junho aconteceu sobre o Fluminense, em São Januário, pelo Torneio Municipal-1946. Asa redes tricolores foram beijadas por  Lelé e Elgen. O treinador já era Ernesto Santos e o time teve: Barbosa, Nilton, Rafagnelli, Ely, Rubens, Jorge, Djalma, Santo Cristo, Elgen, Lelé e Chico.
 

Este jogo foi no estádio Les Coprts, e não no Camp Nou, como muitos sites escrevem

VASCO 7 X 2 BARCELONA - Laerte fez três e Vavá dois. Válter Marciano e Wilson Moreira completaram o placar da goleada  sobre o catalães, na casa deles. Aconteceu em 23 de junho de 1957, amistosamente, no Estádio Les Corts, em um domingo, quando o time do técnico Martim Francisco excursionava pela Europa.
 O Vasco estava cheio de moral. Havia mandado 4 x 3 no Real Madrid e fora o campeão do Torneio de Paris, um autêntico “Mundial de Clubes” da época. Depois, carregou o Troféu Tereza Herrera, com 4 x 2 sobre Athletic Bilbao. De quebra, sacudiu 3 x 1 em cima do Valência. Foi então que rolou a goleada contra o ‘Barça’.  A fúria do time vascaíno foi destilada por: Carlos Alberto Cavalheiro, Dario e Ortunho; Laerte, Orlando e Viana; Sabará, Livinho, Vavá (Wilson Mreira), Valter Marciano e Pinga. O Barcelona teve: Ramallets, Orivellas, Burges, Zegarra, Flotas, Basora, Villaverde, Martinez, Evaristo de Macedo, Hermes Gonzalez e Garcia.  

VASCO 5 X 0 OLARIA - Já que a data é de mandar fogo, por conta de  São João, a rapaziada pegou o velho freguês e o colocou na fogueira.. Valeu pela terceira rodada da segunda fase da Copa Rio de Janeiro-1991, em um domingo, em São Januário. O púbico foi pequeno, de 1.700 pagantes. Mas grande era a fome de gols do atacante Ânderson, que se escrevia com um acento circunflexo e saiu do banco dos reservas para a fama na rodada. Ele foi agudo e deixou dois petardos na gaveta, aos 14 e aos 30 minutos do segundo tempo. Antes, Tiba, aos William, aos 4, e Bismarck, aos 6, também da etapa final, já haviam arrancado o hífen da frente das redes do time alviazul da Rua Bariri. José Henrique Neto apitou, Antônio Lopes escalou e o Vasco jogou com:  Acácio; Jorge Rauli (França), Dedé, Alê e Cássio; Luisinho, Zé do Carmo e William; Tiba (Anderson), Bismarck e Sorato.
 
VASCO 4 X 1 RIO NEGRO-AM - Pelo São João de 1968, o fogueteiro da Colina foi o atacante grandalhão Valfrido, que tinha o apelido de “Espanador da Lua”. Durante a goleada sobre o alvinegro amazonense, em um domingo de muito sol, em Manaus, ele explodiu três foguetes nas redes. O ponta-esquerda Silvinho, que rezava na mesma cartilha do goleador, também deixou o dele, para alegria do técnico Paulinho de Almeida, ex-lateral-direito da turma do “Almirante”, nas décadas de 1950 e de 1960.


sexta-feira, 22 de junho de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 22 DE JUNHO

O 22 de junho na caderneta vascaína é dia de ficar bi; bater duas vezes no maior rival; em clone com uma letra a menos e em nordestinos. De quebra, como turma da "Velhacap", o Rio de Janeiro, ganhar, também, na moçada da "Novacap", os candangos do DF.

1948 - VASCO 2 X 0 BAHIA - A terça-feira 22 de junho de 1948, certamente, não era dia de nenhum santo na Bahia de Todos os Santos. Pelo menos, a "Turma da Colina" foi ver o que o Esporte Clube Bahia tinha e não viu: mandou-lhe dois coquinhos no cucuruto, no quinto dos 15 amistosos disputados pelos dois times. Tuta e Chico saborearam do tempero do tabuleiro da baiana, autorizados pelo técnico Flávio Costa, que meteu a mão no tacho respaldado por: Barbosa (Mariano), Rômulo e Rafagnelli; Ely, Danilo e Jorge; Nestor, Maneca (Tuta), Dimas, Ademir Menezes e Chico.
CONFRONTOS AMISTOSOS -  21.04.1936 – Vasco 4 x 1 Bahia; 06.04.1941 – Vasco 0 x 1; 05.05.1946 – Vasco 6 x 2; 13.06.1948 – Vasco 4 x 2; 22.06.1948 – Vasco 2 x 0; 17.01.1954 – Vasco 2 x 0; 21.11.1957 – Vasco 0 x 3; 24.02.1959 – Vasco 0 x 1; 16.06.1960 – Vasco 3 x 1; 08.11.1960 – Vasco 3 x 0; 15.01.1961 – Vasco 1 x 3; 17.01.1962 – Vasco 2 x 0; 13.12.1968 – Vasco 1 x 3; 16.12.1968 – Vasco 2 x 1; 10.06.1986 – Vasco 1 x 2.

1978 - VASCO 1 X 0 CORINTIANS-DF - O futebol brasiliense teve, na década de 1980, um  Corintians sem o “h”. Era da cidade  satélite do Guará e chegou a disputar o campeonato profissional candango. Em 22 de junho de 1978, uma quinta-feira, ele convidou o  "Almirante" para um amistoso, no Estádio Antônio Ottoni – homenagem a um Editor de Esportes do Jornal de Brasília e torcedor cruzmaltino –  e deu trabalho. A “Turma da Colina” teve de se virar para vencer,  com o gol marcado por Mauricinho.  Treinado por Orlando Fantoni, os vascaínos daquela parada foram: Mazaropi (Jair Bragança); Orlando ‘Lelé’ (Fernando), Marcelo, Gaúcho e Paulo César; Helinho, Zé Mário (Zandonaide) e Paulo Roberto; Wilsinho, Ramon Pernambucano (Jaburu) e Paulinho.

CONFRONTOS - Anote os pegas vascaínos contra times candangos: 211.04.1961 - Vasco 1 x 1 Seleção Brasiliense; 28.09.1974 –  Vasco 2 x 2 Ceub; 01.07.1975 – Vasco 2 x 1 Ceub; 09.06.1977 – Vasco 1 x 1 Brasília; 23.10.1977 – Vasco 3 x 0 Brasília; 17.02.1978 – Vasco 2 x 0 Brasília; 21.07.1976 – Vasco 3 x 0 Taguatinga; 01.02.1979 – Vasco 5 x 1 Taguatinga; 10.06.1982 – Vasco 1 x 0 Taguatinga; 06.061984 – Vasco 1 x 0 Taguatinga; 23.10.1986 – Vasco 3 x 1 Sobradinho;  30.11.1986 – Vasco 4 x 0 Sobradinho; 30.03.1980 – Vasco 5 x 1 Gama; 06.05.1990 – Vasco 0 x 0 Gama; 13.10.1999 – Vasco 5 x 2 Gama; 21.10.2000 – Vasco 1 x 0 Gama; 01.08.2001 – Vasco 0 x 0 Gama; 22.08.2002 – Vasco 0 x 1 Gama; 21.03.2007 – Vasco 2 x 2 Gama; 04.04.2007 – Vasco 1 x 2 Gama; 24.05.2005 – Vasco 2 x 2 Brasiliense (*); 24.08.2005 – Vasco 1 x 0 Brasiliense; 09.05.2009 – Vasco 1 x 0 Brasiliense; 25.08.2009 – Vasco 1 x 0 Brasiliense. OBS: o jogo asteriscado foi anulado e o Superior Tribunal de Justiça Desportivo deu a vitória ao Vasco, por 1 x 0, porque o Brasiliense desobedeceu a ordem de não vender ingressos.

1983 - VASCO 1 X 0 SERGIPE - Um time nordestino que deu muito trabalho aos vascaínos, nos 22 de junho, foi o Sergipe. Amistosamente, no campo do adversário, Celso marcou o gol do jogo, rolado em uma  quarta-feira, diante de 4.146 torcedores de Aracaju, que testemunharam o esforço de: Acácio, Galvão (Roberto Teixeria), Rondinelli, João Luiz, Amauri, Celso Dudu, Serginho, Ernani, Jussiê (Oliveira) e Bebeto.

 1986 - VASCO 2 X 1 FLAMENGO - O 22 de junho marca uma outra vitória vascaína sobre os rubro-negros: 2 x 1, em 1986, amistosamente, no Castelão, em Fortaleza-CE. Os gols foram de Mauricinho e de Roberto Dinamite, o treinador era Antônio Lopes e o time teve Paulo Sérgio; Paulo Roberto, Heitor, Donato, Fernando Moroni, Mazinho, Geovani, Mauricinho e Roberto Dinamite. 
DUELOS FORA DO RJ:  31.01.1965 – Vasco 0 x 0 Flamengo – Estádio Pedro Ludovico, em Goiânia-GO; 31.03.1966 – Vasco 2 x 1 Flamengo – Estádio Nacional de Brasília-DF; 06.11.1966 – Vasco 1 x 2 Flamengo – Estádio Lomanto Júnior, em Vitória da Conquista-BA; 31.08.1969 – Vasco 0 x 2 Flamengo, em Aracaju-SE;  17.01.1971 – Vasco 1 x 2 Flamengo - Estádio Hermenegildo Barcelos, em Arraial do Cabo-RJ; 03.12.1976 – Vasco 3 x 2 Flamengo – Estádio Engenheiro Araripe, em Cariacica-ES;  20.03.1977 – Vasco 1 x 2 Flamengo, em Itabuna-BA: 03.02.1980 – Vasco 1 x 0 Flamengo – Estádio Vivaldo Lima, em Manaus-AM; 19.05.1981 – Vasco 1 x 0 Flamengo – Estádio Mammmoud Abbas, em Governador Valadares-MG; 22.06.1986 – Vasco 2 x 1 Flamengo – Estádio Castelão, em Natal-RN; 29.05.1994 – Vasco 0 x 1 Flamengo, - Estádio Castelão, em Fortaleza-CE; 20.07.1976 – Vasco 3 x 2 Flamengo – Estádio Vivaldão, em Manaus-AM; 03.05.1997 – Vasco 1 x 2 Flamengo – Estádio Alair Corrêa, em Cabo Frio-RJ; 17.07.2005 – Vasco 0 x 1 Flamengo – Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda-RJ.

 1988 - VASCO 1 X 0 FLAMENGO - Era uma quarta-feira. E a noite do 22 de junho de 1988 tornou-se uma das melhores da história cruzmaltina. A “Turma  da Colina” ficou bi estadual, em cima do maior rival, o Flamengo.No dia seguinte à festa, o autor do gol, o lateral-direito Luís Edmundo Lucas Correia, o Cocada, saiu distribuindo o doce que lhe dera o apelido pelas ruas do Rio de Janeiro. Tirou um sarro dos flamenguistas. Para carregar o caneco, a moçada, que ganhara os segundo e terceiro turnos, teria que barrar as pretensões dos rubro-negras, vencedores do primeiro e que tentavam forçar um novo jogo. E ferveram em cima do "Almirante". Mas este se segurou e afundou o barco do desafiante, aos 44 minutos do segundo tempo. Instantes antes, o treinador Sebastião Lazaroni havia trocado o ponta-direita Vivinho, pelo lateral Cocada.  Primeira bola que este recebeu? Arrancou, do seu campo, até a área “inimiga” e soltou um ‘foguete’, de canhota. Era o gol do bi. Durante a comemoração, Cocada tirou a camisa e foi provocar o técnico rubro-negro, Carlinhos, que o dispensava do rival. Criou uma tremenda confusão, da qual ele e mais três foram expulsos de campo,umdos quais Romário.  O Vasco bi-1988 foi: Acácio; Paulo Roberto, Donato, Fernando e Mazinho; Zé do Carmo, Henrique, Geovani e  Bismarck; Vivinho (Cocada) e Romário. . O público foi de 31.816 e a arbitragem de Aloísio Viug.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 21 DE JUNHO

VASCO 4 X 2 MADUREIRA - Com uma rodada de antecedência, a rapaziada garantiu o tetra do Torneio Municipal-1944/1945/1946/1947, vencendo o Fluminense, por 3 x 2, com  gols de Djalma (2) e de Lelé, diante de 7.489 pagantes, no estádio da Gávea. No entanto, a conquista só foi oficialziada em 21 de junho daquele 1947, nesta vitória citada acima.

Naquele dia, o “Madura” abriu o placar, de pênalti, aos 30 minutos da etapa inicial. Aos 10 da fase final, Elgen o igualou. Mas o “Tricolor Suburbano” voltou as passar à frente, dois minutos depois. Porém, a partir dos 17, começou a “levar ferro”, com Ferrinho voltando a empatar. E, aos 23 e aos 40 minutos, Pacheco liquidou a ousadia do velho freguês.   O prélio rolou no estádio da Rua General Severiano, com o time campeão comemorando por causa de:  Castro, Laerte e Wilson; Romulo, Moacir e Aedo; Ferrinho, Dimas, Heitor Pacheco, Elgen e Mário.
CAMPANHA: 13.04.1947 – Vasco 4 x 1 América; 20.04.1947 – Vasco 8 x 0 Bangu; 27.04.1947 – Vasco 6 x 1 Bonsucesso; 04.05.1947 – Vasco 6 x 2 Olaria; 11.05.1947 – Vasco 2 x 1 São Cristóvão; 17.05.1947 – Vasco 5 X 0 Canto do Rio; 25.05.1947 – Vasco 2 x 2Flamengo; 31.05.1947 – Vasco 0 x 4 Botafogo; 07.06 – Vasco 3 x 2 Fluminense; 21.05. Vasco 4 x 2 Madureira.


Saulzinho era mestre dentro da área
VASCO 8 X 1 BODEN-ALEQuando excursionou pela Europa, em 1961, o Vasco não teve pena dos suecos, no 21 de junho. Mandou 8 x 1 neles, em jogo disputado na cidade do mesmo nome do time, com gols de Roberto Pinto (4 ), Lorico (2), Saulzinho e de Écio. O giro foi iniciado em em 21 de maio, em Offenbach, na Alemanha, passando por Suécia, Noruega, Finlândia  e Portugal. "Fiz 12 gols, em 12 jogo", contu o centroavante Saulzinho, o principal goleador da excursão, em entrevista ao "Kike da Bola", em sua casa, em Bagé-RS. (Foto do album do ex-atleta, mas que não é da excursão).   

              BATERIA DOS UNIDOS DA COLINA
  
Nos 21 de junho, há cinco times cariocas que o "Almirante" botou pra sambar. Vamos entrar nesse sambinha, pela ordem cronológica:

21.06.1925 VASCO 3 X 0 BANGU - Pancada dominical, pelo Estadual, no Estádio Álvaro Chaves, nas Laranjeiras. Claudionor "Bolão" jogou um bolão e deixou dois na caçapa. Fernandes acabou de esvaziar a bola dos banguense, que não conseguiram segurar gente como Floriano, Luiz Antônio, Itália e Paschoal, entre outros escolhidos pelo treinador uruguaio Ramón Platero.  Nas estatísticas isso está como o terceiro encontro entre os dois clubes pelas temporadas oficiais cariocas. O primeiro  Vasco 3 x 2, foi em 3 de junho de 1923, e o segundo, 2 x 2, em 19 de agosto do mesmo ano.

21.06.1936 - VASCO 2 X 1 OLARIA - Está no caderninho como o segundo amistoso na história desse confronto. Foi em São Januário, na época em que o técnico inglês Harry Welfare contava com jogadores como Rey, Barata, Osvaldo Saldanha, Duarte, Jarbas, Luiz Mello, Luiz de Carvalho, Kuko e Luna. Grupo forte. Nesta partida, o gauchão Luiz de Carvalho e Luna brilharam nas redes. Anote os amistosos entre os dois times: 05.06.1936 – Vasco 4 x 1; 21.06.1936 – Vasco 2 x 1; 04.04.1948 – Vasco 2 x 1; 11.04.1948 – Vasco 4 x 3; 19.05.1960 – Vasco 0 X 1; 05.06.1980 – Vasco 0 x 0 Olaria.

21.06.1942 - VASCO 2 X 0 MADUREIRA – Um outro treinador uruguaio, Ondino Viera, comandava a rapaziada. Rolado em um domingo, em São Januário, fez parte, também, de temporada oficial estadual, e teve os gols colineiros marcados pelo argentino Villadoniga. Anfitriões: Roberto, Osvaldo Carvalho e Florindo; Figliola, Zarzur e Alfredo II; Orlando, Ademir Menezes, Villadoniga e Ruy.


 21.06.1953 - VASCO 2 X 1 BOTAFOGO foi um duelo dominical, no Maracanã, valendo pelo Torneio Octogonal Rivadávia Corêa Meyer. Quem? Um cartola botafoguense que chegou a presidente da então Confederação Brasileira de Desportos, atual CBF. Erick Westmann apitou e os gols vascaínos marcados por Maneca e Pinga. O técnico Flávio Costa "botou pra queimar", com esta rapaziada: Ernâni, Augusto e Haroldo; Mirim, Danilo e Jorge; Sabará, Ipojucan, Maneca, Pinga e Dejayr (Simão).  

21.06.1969 - VASCO 1 X 0 AMÉRICA-RJ foi um encontro com o “Diabo”, em um sábado, também no “Maraca”. Valeu pelo Campeonato Carioca, com .Evaristo de Macedo chefiando a turma. e Nei Oliveira fez o balanço do filó.

21.06.1942 - VASCO 2 X 0 MADUREIRA – Um outro treinador uruguaio, Ondino Viera, comandava a rapaziada. Rolado em um domingo, em São Januário, fez parte, também, de temporada oficial estadual, e teve os gols colineiros marcados pelo argentino Villadoniga. Anfitriões: Roberto, Osvaldo Carvalho e Florindo; Figliola, Zarzur e Alfredo II; Orlando, Ademir Menezes, Villadoniga e Ruy. .
                                                O OURO DA AMÉRICA
Chamada nos Estados Unidos de ‘Los Angeles Golden Cup-1987, este caneco á uma das grandes marcas cruzmaltinas nos 21 de junho. Naquele dia, o time comandado pelo teinador Joel Santana venceu o argentino Rosário Central, por 2 x 1, e tornou-se campeão, com gols marcados por Vivinho e Geovani, em um domingo. Acácio; Paulo Roberto, Donato, Morôni, Pedrinho, Henrique, Geovani, Tita, Vivinho, Roberto Dinamite e Luís Carlos foram os "caras".
                                   FICHAS TÉCNICAS DE TODOS OS JOGOS .
11.06.1987 – (quinta-feira) - Vasco 5 x 0 América-MEX. Copa de Ouro. Estádio: Coliseu, em Los Angeles (EUA). Gols: Dunga, aos 2, e Geovani, aos 44 min do 1º tempo; Tita, aos 27 e aos 29, e Dunga, aos 45 min do 2º tempo. VASCO: Acácio; Paulo Roberto, Morôni, Donato e Pedrinho; Dunga, Geovani e Tita; Mauricinho, Roberto Dinamite e Romário.

Roberto Dinamite
17.06.0987 – (quarta-feira) – Vasco 0 x 0 Roma-ITA. Copa de Ouro. Estádio: Coliseu, em Los Angeles (EUA). Juiz: José Castro Uchoa (México). VASCO: Acácio; Paulo Roberto, Morôni, Donato e Pedrinho; Henrique, Geovani e Tita; Mauricinho, Vivinho e Luís Carlos.

20.06.1987 (sábado) – Vasco 1 x 1 Guadalajara-MEX. Copa de Ouro. Estádio: Coliseu, em Los Angeles-EUA. Público: 30.000. Gols: Raul Cervin, aos 35 min do 1º tempo, e Fernando, aos 44 do 2º tempo. VASCO: Acácio; Paulo Roberto, Donato, Morôni (Fernando) e Pedrinho; Henrique (Josenílton), Geovani (Luís Carlos) e Tita; Mauricinho, Roberto Dinamite e Vivinho. Pênaltis: Vasco 4 x 3.

21.06.1987 – Vasco 2 x 1 Rosário Central-ARG. Copa de Ouro. Estádio: Coliseu, em Los Angeles (EUA). Juiz: José Castro Uchoa-MEX. Gols: Vivinho, aos 15 min do 1º tempo; Escudero, aos 19, e Geovani, aos 20 min do 2º tempo. VASCO: Acácio; Paulo Roberto,  Donato, Morôni e Pedrinho; Henrique, Geovani e Tita; Vivinho, Roberto Dinamite e Luís Carlos. 
 
Em 21 de junho de 2008, Roberto Dinamite, o maior ídolo da história do Vasco, tornou-se o 43º presidente da história do clube fundado em 21 de agosto de 1898. Em pleito muito tumultuado, que só teve o resultado divulgado na madrugada do dia 22, ele obteve 827 votos, contra 45 de Amadeu Pinto das Rocha, o candidato indicado pelo ex-presidente Eurico Miranda.
Primeiro ex-atleta presidente
Pelos estatutos vascaínos, após aquele resultado, a chapa de Roberto, “Por Amor ao Vasco”, conquistou o direito de indicar 120 conselheiros, para uma segunda votação, seis dias depois, enquanto o adversário só poderia indicar 30. Assim, os 150 indicados pelos dois candidatos se uniram a outros 150 conselheiros natos, e elegeram, no dia 27, o presidente do clube e do conselho fiscal. Em uma primeira votação, para a diretoria do conselho deliberativo, a chapa do Dinamite obteve 146 votos, contra 113 de Amadeu. Em seguida, na escolha do presidente, foram 140 para o ex-goleador e 103 para o rival.
POSSE - Às 21h43 de 1º de julho do mesmo 2008, na sede náutica da Lagoa Rodrigo de Freitas, Carlos Roberto de Oliveira, tornou-se o primeiro ex-atleta a presidir o Club de Regastas Vasco da Gama. Para o ato, ele contou com as presenças do governador do Rio de Janeiro (torcedor cruzmaltino), Sérgio Cabral Filho, e dos ministros do Esporte, Orlando Silva, e da Saúde, José Gomes Tinhorão. Também, foi lida uma mensagem do presidente da república, Luís Inácio “Lula” da Silva, outro torcedor vascaíno.  
 Nascido em 13 de abril de 19534, em Duque de Caxias-RJ, Roberto  jogou durante  21 dos seus 22 anos de carreira com a camisas cruzmaltina. Ele é o maior artilheiro da Colina, com 702 gols, em 1.110 partidas. Mais? Maior “matador” de goleiros em São Januário (184 bolas no filó);  do Campeoanto Brasileiro (190) e do Estadual-RJ (279) e o quinto maior goelador do plaenta, em jogos de primeira divisão, pela Federação Internacional de História e Estatíticas do Futeol-IFFHS.
GOLS EM COPA - A data 21 de junho revela outra glória para Roberto Dinamite: durante a Copa do Mundo de 1978, na Argentina, ele marcou dois tentos na vitória, por 3 x 1, da Seleção Brasileira, sobre a Polônia, que poderia ter levado o time do treinador Cláudio Coutinho à final, caso os argentinos não tivessem marcado os seis gol que precisavam diante do Peru, no jogo disputado após o enceramento da partida do Brasil qie, naquela tarde, atuou com camisa azul, calção e meião brancos.
Apitada pelo chileno Juan Silvagno, a eliminatória foi no estádio General San Martin, em Mendoza, assistida por 39.586 pagantes. Roberto dinamitou os poloneses, aos 57 e aos 652 minutos. Antes, Nelinho havia feito o primeiro, aos 12. O time foi: Leão; Nelinho, Oscar, Amaral e Toninho Baiano; Cerezzo (Rivellino), Batista e Zico (Jorge Mendonça); Gil, Roberto Dinamite e Dirceu Guimarães. (fotos reproduzidas de www.netvasco.com.br e de www.ailtonvasco.hd1.com.br) Agradecimentos