Vasco

Vasco

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

ÁLBUM DA COLINA - PÁGINA 1952

Campeão carioca, em 1952, o Vasco ganhou uma edição especial da "Esporte Ilustrado", contando a sua trajetória na campanha, pelo número 775, de 12 de fevereiro de 1953. Em seu editorial, à página 3, o articulista Levy Kleiman se dirige "aos desportistas de todo o Brasil", dizendo que ninguém "em sã consciência", poderia esperar que o Time da Colina chegasse ao título. Nem mesmo o técnico (Gentil Cardoso) "que prometera o cetro ao presidente (Ciro Aranha) do clube", garantia.
Kleimam fotografava um time "apavorante" no início da disputa, vencendo sem convencer. E contava que, com o passar das rodadas, a geração que encerrava o ciclo vitorioso – iniciado em 1944, com a montagem do "Expresso da Vitória" – mostrava veteranos, como Barbosa, Augusto, Danilo e Chico, entre outros, parecendo terem bebido do "sôro da juventude" (grafia da época).
"Um milagre estava acontecendo", justificava. Mas batia na rapaziada, dizendo que Gentio Cardoso transformara um “time de fantasmas” na mesma “máquina” das conquistas cariocas de 1949/1950, quando todas as bitolas eram largas.
E finalizava dizendo que “... o Gigante de São Januário não dormiu no ponto, ganhou brilhantemente ... com o mesmo time de velhos e mais dois excelentes reforços”, não citados.
Aquela edição, idealizada e produzida por Levy Kleiman, teve fotografias de José Santos, Alberto Ferreira Lima e Alexandre Miranda. Redação de Roberto Mércio, gráficos dos gols por William Guimarães e desenhos publicitários por Alberto Lima.
Da página 4 a 6, desfilavam os campeões – Barbosa, Augusto, Haroldo, Ernâni, Eli, Danlo, Jorge, Bellini, Sabará, Maneca, Ipojucan, Ademir Menezes, Edmur, Alfredo, Chico, Vavá. Friaça e Jansen – e as suas biografias.
 Seguia-se meia página com os placares e rendas das 20 partidas disputadas – apenas uma queda (0 x 1 Fluminense) e dois empates (1 x 1 Botafogo e 2 x 2 Fluminense) – e mais duas relatando o trabalho da diretoria, sob o título “Ressurge o Campeoníssimo, com texto de Roberto Mércio dizendo que “A nau do Almirante... venceu todas as procelas e, impávida e serena, ancorou orgulhosa no porto da vitória!. Contando com uma tripulação coesa”. Uma folha adiante, o repórter repete o filão sobe o título “Departamento médico e a recuperação dos campeões de 52”
O show dos gráficos e William Guimarães, com todos os gols da campanha, é a próxima atração, em oito páginas. Tiveram por “observadores” (passavam a noção dos tentos ao desenhista) José Romeu (14 jogos), Jorge Miranda (2), , Carlos Xavier (2), Mário de Souza e Milton Rebelo.
Encerrada a sessão gráfica, vinha matéria sobre o trabalho de Gentil Cardoso e dos 20 atletas que jogaram pelo título (17 vitórias), informando o número de atuações de cada um dos campeões, dos quais Augusto (zaga direita)e Danilo (centro médio) estiveram nas 20 partidas. Por fim, a edição era fechada analisando a campanha, jogo a jogo, com as fichas técnica.
Também, brindava o torcedor vascaíno, com um poster colorido, em página dupla, patrocinado por J.Isnard & Cia Ltda a Casa dos Discos Portugueses, “A preferida pelos campeões de 52”,que apareciam em quatro fotos manuseando os chamados “bolachões”.





Nenhum comentário:

Postar um comentário