Vasco

Vasco

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

HISTORI&LENDAS DA COLINA-1956

 
O "gajo" Sabará compareceu à tabuleta numérica
 
  1 - Campeão carioca na temporada 1956, o Vasco estava com o seu prestigio em alta. Na Europa, mantinha um bom mercado. Em 30 de junho de 1957, a rapaziada excursionava pelos gramados do “Velho Mundo”, como o continente era chamado pelos velhos cronistas brasileiros, e não brincou em serviço. Em um belo domingão de Lisboa, mandou 4 x 2 pra cima do Benfica, deixando a torcida portuguesa embasbacada. Válter Marciano (2), Sabará e Livinho foram os “gajos”que compareceram à tabuleta numérica, quando ainda não havia placar eletrônico.
 
2 - Martim Francisco era o treinador e a esquadra que bateu nos “portugas” navegou com estes passageiros: Carlos Alberto Cavalheiro (Hélio), Ortunho e Viana; Orlando, Laerte e Dario; Sabará Válter (Roberto Pinto) , Livinho, Vavá e Pinga. Na foto, Sabará encaçapa o dele. Aquele fora o segundo amistoso entra Vasco e Benfica. O primeiro rolara no domingo 12 de julho de 1931, quando a "Turma da Colina” fazia a sua primeira excursão por gramados europeus (primeira de um clube carioca). Goleou os benfiquistas, por 5 x 0, com gols de Russinho (2), de Mário Mattos (2) e de Nilo. Na ocasião, o técnico era Harry Welfare e a formação esta: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Baianinho, Nilo, Carvalho Leite, Russinho e Mário Mattos.

 3- Esta é uma foto na qual Sabará jamais desejaria figurar. Se dependesse dele, só estamparia retratos vascaínas. Mas coração de cartola é volúvel. Disseram-lhe que, para a temporada-1964 do futebol carioca, impiedosamente, os seus serviços já não eram mais preciso, em São Januário. Após 12 anos de casa, como o atleta que mais vestira a camisa vascaína (576 partidas), mandando 135 bolas às redes, o glorioso Sabará (campeão carioca-1952/56/58, do Torneio Rio-São Paulo-1958 e do Torneio de Paris-1957) saiu da Colina e foi parar na Ilha do Governador. 
 
4 - Na Portuguesa, Sabará esteve dirigido por um outro ex-vascaíno, o treinador Gentil Cardoso, campeão, com ele, em 1952, e jogou lado de dois outros dois antigos parceiro, o apoiador Laerte e o atacante Edmur. Duas décadas passaram até que alguém vestisse mais a jaqueta da “Turma da Colina” do que Sabará – Roberto Dinamite (1.110) e Carlos Germano (632). Mas a lenda ficou. Sabará fez gols para o Vasco e a Seleção Brasileira. Jogou ao lado de Ademir Menezes, de Garrincha e de Pelé. Quantos tiveram tal privilégio?

5 - Exilado na Ilha do Governador, Sabará ajudou a Portuguesa a classificar-se para o seleto Campeonato Carioca do IV Centenário-1965 da Cidade Maravilhosas, quando só oito times entraram na festa. Sua nova turma somou 23 e perdeu 25 pontos, com 8 vitórias, 7 empates e 9 derrotas. Ajudou o ataque marcar 29 tentos –a defesa sofreu 26 gols. O time da foto mostra: Bruno, Wagner, Reginaldo, Luisão, Laerte e Tião, em pé, da esquerda para a direita; Sabará, Edmur, Inaldo, Válter e Zé Carlos, agachados, na mesma ordem. (foto reproduzida da Revista do Esporte).

Nenhum comentário:

Postar um comentário