Vasco

Vasco

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

TRAGÉDIAS DA COLINA - TREINADOR VAVÁ

Vavá foi bicampeão das Copas do Mundo-1958/1962 e deixou na história delas nove balançadas de redes. Durante as suas 67 temporadas de vida, ele gerou quatro fihos e fez muitos amigos e fãs. Mas saiu dela carregando uma mágoa de jamais ter sido convidado pelos cartolas do Vasco da Gama para dirigir o time de São Januário – grande sonho.
Quando trocou o Vasco pelo Atlético de Madrid, Vavá  jogou,
de novo, contra os velhos rivais botafoguenses, Mané Garrincha
 e Didi, colegas na Seleção Brasileira-1958/1962.
Vavá tornou-se vascaíno pelo final de 1950, e de lá saiu tendo ajudado o "Almirante" a conquistar três títulos estaduais – 1952/56/58.
 Também, jamais negou ser torcedor cruzmaltino – vestiu, ainda, as camisas de  América, Íbis e Sport-PE; Palmeiras; Atlético de Madri e Elche-ESP; América e Toros Naza-MEX; San Diego Toros-EUA e Portuguesa-RJ.
A carreira de Vavá como treinador começou por auxiliar de Telê Santana, na Seleção Brasileira.
Ele dirigiu o time da garotada júnior, durante o Mundial-1981, e equipes do exterior, como o Córdoba, da Espanha, onde foi considerado o melhor treinador que passou pelo clube. Mas isso não lhe fazia a cabeça.
O que Vavá queria memo era treinar o time do seu coração, o Vasco. Segundo a sua mulher, Miriam, nunca ter sico convidado pelos dirigentes vascaínos o incomodava bastante, sem eus últimos tempos de vida.
Vavá partiu para um outro plano, deixando dívidas, por causa de locatários de seus imóveis que não pagavam taxas, como IPTU, por exemplo.  Para liquidar as dívidas, foi obrigado a vender a camisa usada durante a Copa do Mundo-1958, arrematada pela CBF, durante leilão, em Londres, ao custo de R$ 80 mil, dos quais só a metade chegou à sua mulher, devido taxas e impostos. 
Bem que os cartolas da Colina poderiam darem uma chance a Vavá, pois o fizeram com Ademir Menezes, Paulinho de Almeida e Ely do Amparo, velhos companheiros do "Leão da Copa".
         FOTO REPRODUZIDA DO ARQUIVO DO JORNAL DE BRASIIA   

                              

Nenhum comentário:

Postar um comentário