Vasco

Vasco

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

FIGURINHAS CARIMBADAS-1

Roberto Dinamite, Romário e Bebeto, principalmente, foram grandes ídolos da torcida cruzmaltina. Quem colecionou álbuns com cromos de atletas sabe o quanto era difícil conseguir uma figurinha carimbada, o que virou sinônimo de “coisa rara”. Afinal, no caso daquele três craques, repeti--los não é coisa pra todo dia.
O Dinamite, por exemplo, disputou 1.022 jogos (768 oficiais e 254 amistosos) e marcou 754 gols com a camisa vascaína,  algo impossível, atualmente, porque os negócios no futebol não deixam os craques ficarem por muito tempo em um mesmo clube. As vezes acontece, mas é coisa rara, como as “figurinhas carimbadas” que chegaram a ser proibidas.
Roberto Dinamite é, também, o maior artilheiro do Campeonato Brasileiro – iniciado em 1971 –, com 190 tentos, e do “Clássico dos Milhões”, deixando 27 nas redes rubro-negras, em 27 partidas contra o “rivalaço” Flamengo.
Campeão estadual-RJ, em 1977/82/88/92, e da Taça Guanabara-1976/77/86/ 87/90/91, Roberto foi, também, ganhador do Campeonato Brasileiro-1974 e artilheiro da disputa de 1984, sendo que dos seus 190 tentos, 181 são vascaínos – 9 pela Portuguesa de Desportos-SP, um dos dois clubes que defendeu, durante “passeiozinhos rápidos por fora da da Colina”. .
Pela Seleção Brasileira, Roberto marcou 26 tentos, em 49 partidas. Disputou a Copa do Mundo-1978, na Argentina, e foi reserva, sem jogar, na Espanha-1982. A sua história registra três saídas do Vasco da Gama: 1979/1980, para o Barcelona-ESP; 1989/1990, emprestado à Lusa do Canindé-SP, e,. em 1991, em final de carreira, rumo ao Campo Grande-RJ.
 Romário é o único ex-atleta vascaíno a ganhar uma estátua em São Januário, onde esteve por  quatro oportunidades – ficou fora entre 1988 a 1999; de 2002 a 2004. Depois de passar 2005;2006 no clube, saiu e voltou em 2007, sua ultima passagem pela Colina. Em 402 partidas vascaínas, deixou 313 bolas na rede, inclusive a milésima, pelas suas contas. É o segundo maior artilheiro vascaíno de todos os tempos.
Bicampeão estadual-RJ-1987/88, ganhou ainda, como vascaíno, a Copa Mercosul e o Brasileiro, ambos em 2000. Pela Seleção Brasileira, foram 74 jogos e 56 gols.
De sua parte, Bebeto foi vascaíno entre 1989 e 1992, e de 2001 a 2002, totalizando 61 vestidas da camisa vascaína e marcando 30 gols. Quando foi para São Januário, o Palmeiras oferecia Cr$ 85 milhões de cruzeiros pela sua bola, mas o Vasco levou, por Cr$ 65 milhões, pois ele preferia seguir no futebol carioca.
Campeão brasileiro-1979 e da Taça Guanabara-1990, Bebeto  foi campeão mundial formando dupla ofensiva, com Romário, no já citado Mundial-1994. Ele fez 81 jogos e e 37 gols, pelo time A além de 30 partidas e 15 tetos pelo time olímpico. Além de campeão do Mundial-1994, ganhou as Copas América (1989), da Amizade (1992) e das Confederações (1997).
Outras duas figurinhas carimbadas vascaínas que aparecem aqui são o atacante Ney Oliveira e o pentacampeão mundial Mazinho. Este foi campeão mundial-1994, juntamente com Bebeto e Romário, e, também, da Copa América-1989. Disputou 40 partidas canarinhas e esteve vascaíno entre  1985 a 1990, disputando 322 jogos e marcando 17 gols.
 Enquanto isso,  Ney Oliveira – a imprensa escrevia sem o “y” –, foi até parceiro de Pelé em seleções canarinhas d 1963. Totalizou 10 partidas pelo escrete nacional. No Vasco da Gama, estreou marcando dois gols. Teve partida em que chegou a fazer três. Repórteres que cobriam o clube o definiam por “rápido, insinuante e voluntarioso”. Foi da “Turma da Colina” entre  1967 e 1969.

 
AGUARDAR  FOTOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário