Vasco

Vasco

segunda-feira, 7 de maio de 2018

TRAGÉDIAS DA COLINA - OS SEM BI

A moçda escorregou e foi secada pelos flamenguistas
 Deveria ser uma festa vascaína, a do bi do Campeonato Carioca Adulto Masculino de Basquetebol. A rapaziada havia passado pelo maior rival, o Flamengo, e foi à quadra decidir o título de 1966, com o Botafogo, que não conseguia ser campeão desde 1947.
 Rolou a bola e, ao término do primeiro tempo, os botafoguenses viraram de etapa em vantagem: 35 x 29. Surpreendente para os 3.812 espectadores que haviam ido ao ginásio Gilberto Cardoso, o Maracanãzinho, naquela noite de 30 de setembro de 1966, pois o Vasco da Gama era favorito ante um clube que não carregava o caneco há 19 temporadas.
 Aconteceu o não esperado, então. O Vasco caiu, por 69 x 60, vendo o rival usar cinco atletas que haviam sido da “Turma da Colina”, César, Oto, Barone, Cianela e Gato. Foi um jogo tenso. Em determinado momento, o presidente vascaíno, João Silva, levantou-se de sua cadeira e saiu correndo para interpelar um dos árbitros, Milton Viana de Carvalho – o outro fora João Viana Nogueira.
  O Vasco não bisou por conta de Tentativa (fez 12 pontos e foi eleito um dos dois melhores em quadra, juntamente com o botafoguense Oto), Sérgio (16), Fernando (2), Paulista (14), Leonardo (8), Douglas (8), Valdir, Carneirinho e Gabiru.  
Antes da partida, o treinador Kanela (Togo Renan Soares, que dirigira a rapaziada botafoguense em 1947, ainda chorava a queda na semifinal ante Vasco e dizia ter o seu Flamengo sido eliminado no apito. E prometia secar os vascaínos, torcendo pelo Botafogo. Secou legal!  
FOTO REPRODUZIDA DA REVISTA DO ESPORTE Nº 398, DE 22.10.1966

Nenhum comentário:

Postar um comentário