Vasco

Vasco

domingo, 13 de maio de 2018

HISTORI&LENDAS DA COLINA - IGUALADA

O capitão Pinga (D) cumprimenta o corintiano Olavo
Após conquistar o SuperSuperCampeonato-RJ-1958, em 17 de janeiro já de 1959, o time do Vasco da Gama só abriu  a nova temporada em 4 de fevereiro. Pouco mais de duas semanas para a moçada descansar. Ainda não se falava em pré-temporada, mas os times faziam muitos amistosos até o início da primeira grande disputa do ano, que era o Torneio Rio-São Paulo.
 O “Almirante”, então, iniciou a temporada-1959 fazendo 12 amistosos, tendo em dois deles goleado o Ypiranga-BA, por 6 x 1, e o Marítimos-MT, por 6 x 2. Para o torcedor, não interessava se quem estava do outro lado era muito mais fraco. O time vinha de uma parada, de muita farra pelo caneco do “SS-58” e podia-se dar um desconto pelas escorregadas nos primeiros jogos – quatro vitórias, cinco derrotas e três empates.
Mesmo assim, a galera esperava o bi do Rio-SP, afinal o Vasco era um supercampeão. Veio  a estreia vascaína, em  9 de abril, e  a “Turma da Colina” foi ao Pacaembu, em São Paulo, em uma noite de quinta-feira, encarar o Corinthians.
 Mesmo jogando em casa, o alvinegro paulistano não era favorito, pois vivia uma inquietante crise política e o seu time mais pisava do que acariciava a bola. Sorte dele que o Vasco, também, andou pisando nela, pois não era noite de Rubens, o que desandou o seu meio-de-campo, levando o anfitrião a dominá-lo e a abrir o placar, os 29 minutos. Pelo rádio, no Rio de Janeiro, a turma execrava o que ouvia. Ainda bem que, aos 16 minutos do segundo tempo, o mesmo Rubens que escorregava no tomate, empatou a pugna, finalizada em 1 x 1, com apito de Eunápio de Queiroz.   
Vasco deixou de bater em um Corinthians em crise por conta de: Barbosa, Paulinho de Almeida, Viana e Dario; Écio e Russo; Sabará, Almir, Osvaldo (Roberto Peniche), Rubens e Pinga. 
                         FOTO REPRODUZIDA DE MANCHETE ESPORTIVA


  



Nenhum comentário:

Postar um comentário